terça-feira, 23 de agosto de 2016

Mariano Gago sublinha que nunca houve tantos jovens a estudar ciências em Portugal

Nunca houve tantos jovens a estudar ciências em Portugal como nos dias de hoje nem tantos professores a ensiná-las bem, afirmou ontem, na Figueira da Foz, o ministro Mariano Gago da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

O ministro falava no final da Gala da Ciência promovida pelo jornal online Ciência Hoje, no Casino da Figueira da Foz.

No entanto, o ministro considerou que a actividade científica em Portugal "ainda tem muito que crescer".

"Mas é muitíssimo superior àquela que alguma vez foi na História portuguesa", declarou.

O facto de existir em Portugal uma investigação científica "consistente em muitas áreas", concretamente nas empresas, aliado aos numerosos cientistas é, segundo Mariano Gago, um sinal de "esperança".

No discurso que proferiu durante a Gala da Ciência, em que foram atribuídos os prémios "Seeds of Science" a investigadores de dez áreas científicas, o ministro sublinhou que a ciência não existe sem reconhecimento.

"Claro que o reconhecimento que conta para a ciência é o reconhecimento de quem trabalha em ciência. Não há ciência sem que outros cientistas reconheçam que aquela é uma ciência que vale a pena, que é boa", frisou.

Entre os galardões atribuídos, o prémio "Carreira" distinguiu Álvaro Maceira-Coelho, investigador já reformado, cujo trabalho se desenvolveu na área da biologia celular e molecular do envelhecimento e do cancro. "De todas as recompensas, as que nos tocam mais são as que vêm do país onde nascemos", disse Maceira-Coelho, que vive em França, onde desenvolveu grande parte da sua actividade científica.

Além de Álvaro Maceira-Coelho, foram distinguidos com o "Seeds of Science" Alexandre Quintanilha, Mário Barbosa e Sobrinho Simões, na rubrica "Consagração", Cecília Arraiano ("Ciências da Vida") e Gustavo Castelo-Branco ("Ciências Exactas").

Elvira Fortunato ("Engenharias e Tecnologias"), Irene Pimentel ("Ciências Sociais"), Instituto Gulbenkian de Ciência ("Comunicação"), Ricardo Serrão Santos ("Ciências do Mar, da Terra e Atmosfera"), Pedro Russo ("Especial 2009") e André Afonso ("Júnior") foram os restantes galardoados.

A segunda edição dos prémios "Seeds of Science", atribuídos anualmente pelo jornal online de informação científica Ciência Hoje, contou com a colaboração da Agência Ciência Viva, Fundação Calouste Gulbenkian e Associação de Laserterapia e Tecnologias Afins.
Lusa
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Emprego Docente

Noticias da Educação

Blogues

Recomendamos ...