quarta-feira, 29 de abril de 2015

Vídeo - Mensagem aos professores de alunos com autismo

Vídeo - África

Vídeo - Campo Magnético Gerado por Corrente Elétrica

Documento - O processo de aquisição e desenvolvimento da linguagem


Download 1 - Dropbox
Download 2 - Mega
Download 3 - Google Drive
Download 4 - Box

Vídeo - Os Sofistas 3

Vídeo - Pré-história - Parte 2 - Revolução Neolítica

Vídeo - Os Números Inteiros - Introdução

Vídeo - Língua Portuguesa (de Olavo Bilac)

Notícia - Com a Web a fazer 20 anos, as atenções concentram-se no que pomos na rede e quem está a ver o que fazemos

O início da World Wide Web não foi anunciado com um grande bang. Foi mais um sussurro, pelo menos a julgar pelo título não muito apelativo da proposta que o seu inventor, Tim Berners-Lee, apresentou há 20 anos: Gestão da informação: uma proposta. Ontem, Berners-Lee, que entretanto foi tornado sir pela rainha de Inglaterra, voltou ao Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), para recordar como começou esta grande revolução na comunicação.

A ideia do britânico considerado o pai da Web era combinar a tecnologia dos computadores pessoais, das redes informáticas e do hipertexto, para construir um sistema de informação global — antes de mais, para servir os milhares de cientistas de todo o mundo que trabalham no CERN (na fronteira entre a Suíça e a França), tentando desvendar os segredos mais ínfimos da matéria. Mas não queria um sistema que só os cientistas mais aficionados das tecnologias de informação fossem capazes de usar: devia ser “ao mesmo tempo potente e de utilização fácil”.

Os primeiros resultados andavam longe da Web cheia de imagens, vídeos, música e sabe-se lá que mais de hoje: a base era sobretudo texto, e tudo a preto e branco (em 1989, a cor andava ainda arredada dos computadores), como mostrou ontem, no CERN, a jornalistas e muitos geeks da informática envolvidos nesta tecnologia que parece ter estado sempre connosco, de tão presente. Mas é só desde meados da década de 1990 que a Internet começa a espalhar-se verdadeiramente por todo o planeta.

O caminho feito desde então é surpreendente, quando se olha para trás: ainda se lembra como era não poder ler os jornais do mundo, do New York Times ao Asahi Shimbun do Japão?

Ainda não vivemos dentro da rede, da forma sugerida pelos romances de ficção científica de William Gibson, que inventou o termo “ciberespaço”, mas há quem viva lá em espírito. Por exemplo, os mais aficionados do Second Life e outros sites onde se tem uma personagem, um avatar, e se vive uma vida alternativa.

Hoje as preocupações são com os excessos daquilo que pomos de nós próprios on-line. Por exemplo, o que fazem os sites da Web social, como o Facebook, com a informação que os utilizadores lá colocam, em princípio para se darem a conhecer a potenciais amigos — mas todas as empresas do mundo dariam rios de dinheiro para saber os nossos hobbies, a marca de bolachas que preferimos, até as nossas doenças, junto com os nossos endereços de e-mail, e quem sabe, de casa, do trabalho (ver caixa).

Tim Berners-Lee, ou sir Tim, como muitos lhe chamam depois de ter sido tornado lorde (e nomeado o britânico vivo mais importante), reinventou-se hoje como um defensor dos direitos de privacidade dos cibercidadãos, e fundou a World Wide Web Foundation (http://www.webfoundation.org/) que tem objectivos modestos: “Fazer avançar a Web, ligar a humanidade e dar poder às pessoas”.

Tim Berners-Lee tem sido um paladino dos direitos dos utilizadores da Net, contra o controlo da informação. Esta semana, numa audição no Parlamento, alertou os deputados britânicos para a necessidade de os políticos não permitirem que empresas e até governos vejam o que fazem as pessoas na Web. “Usamos a Internet sem pensar que uma terceira parte pode saber no que é que acabámos de clicar. Mas os endereços das páginas que digitamos revelam muito das nossas vidas. É informação muito sensível”, disse. “Haverá uma grande pressão comercial para divulgar estes dados, por isso, nem deve ser gravada.
Reuters

Notícia - À espera que um ET nos telefone

A fórmula consagrada nos desenhos animados e nos filmes de ficção científica de série B norte-americanos é "Take us to your leader!" É isto que dizem os extraterrestres quando a sua nave espacial chega à Terra (a Washington ou Nova Iorque, onde havia de ser?). E os terrestres, estupefactos e aterrados, tratam de levar o ET ao mayor, à ONU ou a outro sítio qualquer.

Há 50 anos que o SETI começou a procurar ETI. Têm sido 50 anos de silêncio (Reuters)

Por estranho que possa parecer, saber exactamente que diálogo deve ser encetado com os ET é matéria de estudo científico. A prova disso é que a revista Philosophical Transactions A da conceituada Royal Society britânica acaba de publicar uma edição inteiramente dedicada à "detecção de vida extraterrestre e as suas consequências para a ciência e a sociedade".

No site daquela sociedade científica (rsta.royalsocietypublishing.org/content/369/1936.toc etoc), é possível ter acesso às conferências proferidas por uma constelação de especialistas de "astrobiologia" - vulgo, vida extraterrestre -, num encontro que decorreu em Londres há um ano. Nesse encontro, vários participantes apelaram a uma colaboração das Nações Unidas na definição dos protocolos a adoptar em caso de eventual contacto com uma espécie alienígena inteligente.

Dois meses depois daquele encontro, o célebre físico britânico Stephen Hawking (que não era um dos oradores) lançava, por seu lado, um surpreendente alerta num documentário realizado para o canal de televisão Discovery. Hawking, que acha muito razoável pensar que existe vida inteligente lá fora, dizia que, se algum extraterrestre inteligente quisesse comunicar connosco, o melhor seria ficarmos calados e não respondermos. Porque, se fossem alertadas para a nossa presença, forças alienígenas à procura de mundos habitáveis ou com recursos exploráveis poderiam desembarcar na Terra - com consequências tão nefastas para nós como foi para os índios a chegada à América dos conquistadores espanhóis em finais do século XV.

Mas será que as coisas são assim tão dramáticas? De facto, quando lemos os textos que foram agora postos online, este cenário de contacto físico fica relegado para um plano secundário, como algo de muito improvável - e talvez até impossível.

Uma coisa é certa, contudo: a existência de vida extraterrestre (não necessariamente inteligente) ganhou adeptos na comunidade científica na última década, em especial com a descoberta de planetas extra-solares - e, mais recentemente, com a constatação de que planetas rochosos parecidos com o nosso, em órbita em redor de estrelas parecidas com o nosso Sol, não são a excepção e, pelo contrário, serão mesmo bastante vulgares. A questão já não parece ser a de saber se estamos sozinhos ou não. É apenas uma questão de tempo, dizem muitos especialistas, até encontrarmos vida num desses planetas.

Há uns 50 anos, Frank Drake, fundador do SETI, calculou graças a uma fórmula matemática que leva o seu nome que deveriam existir umas 10 mil civilizações inteligentes no Universo. O SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) é o famoso projecto de procura de vida extraterrestre inteligente, que chegou a ser um programa da agência espacial norte-americana NASA nos anos 1990, mas que é hoje gerido pelo SETI Institute, uma entidade privada com sede na Califórnia.

O número obtido por Drake poderá ser exagerado (de facto, ninguém sabe calculá-lo ao certo). Mesmo assim, como o Universo contém, segundo as estimativas, centenas de milhares de milhões de galáxias (e a nossa Via Láctea, por exemplo, até 400 mil milhões de estrelas), não há razão para o nosso sistema solar e o nosso planeta serem únicos.

Mas, para além dos argumentos puramente numéricos em favor da existência de outros cantinhos habitáveis, porque é que deveria necessariamente haver vida nos planetas parecidos com a Terra que sem dúvida orbitam em torno de algumas estrelas? E se, mesmo nesses, nada tivesse acontecido?

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Vídeo - Tornado no Brasil

Vídeo - Indução Eletromagnética - Gerador Elétrico e LED

Navegar no sitiodosmiudos.pt - Links

A Internet tem-se imposto como um meio cada vez mais importante de aprendizagem e entretenimento. Neste sentido, perspectiva-se uma transformação substancial dos métodos de ensino-aprendizagem, com uma interpenetração entre a pedagogia e a tecnologia.De facto, a Internet promove a interactividade entre o utilizador e os conteúdos e disponibiliza uma grande diversidade de recursos, como o som, a imagem e a animação, que têm uma força persuasiva especial e estimulam uma postura activa e participativa por parte das crianças no processo de ensino-aprendizagem.Assim, torna-se premente uma adequação das estratégias pedagógicas às potencialidades dos recursos virtuais, sobretudo da Internet.
A titulo de exemplo sugerimos a navegação no site http://www.sitiodosmiudos.pt/, do qual apresentamos aqui algumas propostas de actividade.
Almofada dos sonhos
Redacção de uma notícia
História "As aventuras do AstroClick"

Vídeo - Os Sofistas 2

Vídeo - Pré-História - Parte l (Período Paleolítico)

Vídeo - O Conjunto dos Números Inteiros (Z)

Vídeo - O que é um Livro?

Notícia - Cientistas analisaram pela primeira vez a atmosfera de uma super-terra

Uma equipa de cientistas analisou pela primeira vez a atmosfera de uma super-terra. A experiência olhou para o planeta GJ 12114b, utilizando o Very Large Telescope do Chile, e chegou à conclusão que a atmosfera deste exoplaneta é formado ou por vapor de água muito denso, ou por nuvens grossas. O estudo foi publicado esta semana na revista Nature.

A super-terra GJ 12114b está a 40 anos-luz. (Paul A. Kempton)

O interessante nas super-terras é que “são uma transição entre planetas rochosos como a Terra, Vénus e Marte e os gigantes gelados como Úrano e Neptuno”, explicou Jacob Bean, primeiro autor do artigo, que trabalha no Centro de Astrofísica da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Esta classe era desconhecida até a comunidade científica começar a olhar para os planetas que estão fora do nosso Sistema Solar. Neste caso, o GJ 12114b tem um diâmetro três vezes maior do que a Terra e uma massa 6,5 vezes maior, situa-se a 40 anos-luz e foi descoberto em Novembro de 2009.

A descoberta desta super-terra foi feita graças ao seu trânsito celeste. O GJ 12114b passa à frente da estrela mãe e sempre que isso acontece a luz que chega à nossa Terra é menor. Isto permiti detectar a existência deste planeta e quantificar o seu diâmetro.

A medição da atmosfera foi feita de uma forma semelhante. A equipa utilizou o Very Large Telescope para verificar se determinados comprimentos de onda que no espectro da luz caem no infra-vermelho, ao atravessarem a atmosfera do GJ 12114b eram alterados, denunciando a sua composição.

A partir do conhecimento que os cientistas tinham sobre o planeta, havia três hipóteses sobre a sua atmosfera que foram postas à prova. Poderia ser formada por uma camada densa de vapor de água, poderia ser formada por uma atmosfera fina de hidrogénio e hélio – próprio de planetas gelados e rochosos, ou poderia ser uma mistura de gases vulcânicos.

Através da experiência os cientistas conseguiram retirar a hipótese da atmosfera fina de hidrogénio e hélio. O telescópio procurava uma influência da atmosfera através da absorção de raios de luz, mas depois de retirar o atrito causado pela nossa atmosfera terrestre, não obteve nada.

“O que mais determina o parâmetro que governa as características de absorção é a espessura da atmosfera do planeta – a extensão, a densidade, não necessariamente a abundância de um elemento”, explicou Bean citado pela BBC News.

Neste caso, o facto das leituras do telescópio não darem nenhuma indicação pode querer dizer que estamos perante um planeta com uma atmosfera formada por vapor de água tão denso que fica compactado junto da superfície da super-terra. Desta forma, a maioria dos raios passa por cima e não é influenciada pela atmosfera.

A outra alternativa é que o GJ 12114b tem uma atmosfera constituída por nuvens que bloqueiam a passagem dos raios deste comprimento de onda.

“Este é o resultado mais significativo do último ano sobre medições da atmosfera de um exoplaneta – e um ano é muito tempo neste campo”, defendeu em declarações à BBC News Drake Deming, do Laboratório de Sistemas Planetários da NASA, que fez um comentário sobre o artigo na mesma edição da Nature. O especialista refere que, apesar da grande frequência com que se descobrem novos exoplanetas, esta experiência mostra a dificuldade que é a pesquisa na área.

O próximo passo vai ser a análise da atmosfera através de outros comprimentos de onda no infra-vermelho. Mas Jacob Bean diz que antes disso vai haver mais novidades sobre o GJ 12114b. “Este é o exoplaneta mais interessante que está aí e há muitas pessoas focadas nele.”

sábado, 25 de abril de 2015

Multimédia - Introdução às Ciências/1º Ciclo do EB

A sombra do Sol

Descritivo : Este vídeo mostra como o usar a sombra projectada pelo Sol para determinar os pontos cardeais. È um excelente vídeo da autoria do Dr. Michael R. Gallis, professor da Universidade do Estado da Pensilvânia nos Estados Unidos ( Schuylkill Campus ) que nos autorizou a sua colocação no portal Casa das Ciências e a quem agradecemos. Com a duração de cerca de doze segundos, pode ser a qualquer instante parado pelo utilizador (está em formato *.avi) e está originalmente sujeito a uma licença Creative Commons.

Interactividade: Passivo
Tempo: 12 s
Enviado por: Gabinete Coordenador da Casa das Ciências

Vídeo - Os Sofistas 1

Vídeo - Neolitico

Vídeo - Primeiras Impressões - Os números

Vídeo - Algumas das diferenças do Português do Brasil e de Portugal.

Notícia - Lançado computador mais fino do Mundo


A ditadura da elegância está em alta, até no mundo dos computadores, pelo que o ultraportátil da Apple já tem um concorrente, pelo menos na espessura: o Dell Adamo, que será lançado brevemente no nosso país. Neste momento, é o portátil mais fino do Mundo, com uma espessura de 1,65 cm, menos dois milímetros do que o seu concorrente, apesar de pesar mais 450 gramas. Tem 1,81 quilos.


Para além disso, tem um design inovador: o chassi, de uma só peça, do Dell Adamo é todo construído em alumínio, à prova de torção, nas cores ónix e pérola, e tem um teclado com iluminação interna e teclas metálicas com design anatómico e ecrã de cristal de alta definição que cobre toda a parte frontal.

A bateria tem uma autonomia anunciada superior a cinco horas e como já se espera que sejam os portáteis do futuro, não tem leitor de CD/DVD, mas tem-no como opção externa, assim como a drive blu-ray, disco óptico da nova geração de 12 cm de diâmetro (igual ao CD e ao DVD) para vídeo de alta definição e armazenamento de dados de alta densidade.

A venda de portáteis cresce rapidamente em todo o Mundo – são óptimos para quem se desloca com frequência – e esse sucesso tem estimulado a indústria a lançar modelos cada vez mais dirigidos ao público consumidor, ou seja, todos nós. Preço e peso são factores importantes e para completar, retoques no design e uma diversidade maior de cores têm conferido maior atractividade.

Um dos primeiros ultraportáteis com mais sucesso, ou seja, com monitor de 13,3 polegadas, já tinha sido um Dell, o XPS M1130, lançado em 2007, mas o MacBook Air, o finíssimo da Apple, popularizou esse formato. Agora voltou a ser destronado por um modelo da Dell. 

Mário Gil

Notícia - Galáxias escuras

No nosso grupo local (GL) de galáxias, conhecem-se mais de trinta galáxias esferóides anãs (ou dSph, na sigla como são conhecidas na literatura internacional), um tipo que parece ser dos mais abundantes no Universo. Com pouca actividade estelar e exibindo baixa luminosidade, o seu elevado factor de massa/luminosidade leva a pensar que as dSph contêm grandes quantidades de massa escura. Assim as dSph de Draco, Sextans e Fornax (entre outras) são dos alvos preferenciais para estudos de aniquilação de neutralinos ou outros candidatos a massa escura. Algumas estimativas apontam para que a massa visível das dSph seja da ordem das 10^7 a 10^8 massas solares, ou seja, dez a cem vezes menos do que a sua massa escura.

Estas dSph são satélites da nossa galáxia; relativamente pequenas, portanto. Conhece-se, porém, um exemplo em que toda uma galáxia não evidencia actividade estelar, sendo praticamente confundida com o fundo espacial. Trata-se de VirgoHI21 e foi descoberta em 2005 por uma equipa internacional liderada por astrónomos britânicos, a trabalhar a partir do radiotelescópio Lovell da Universidade de Manchester. Esta galáxia roda como outras, mas não contém estrelas, pelo que, sem produzir luz visível, a sua natureza individualizada só foi estabelecida através da radiação de 21 cm, resultante da transição hiperfina dos átomos neutros de hidrogénio (H). Traçando a rotação deste gás ao longo dos contornos de VirgoHI21, a quantidade detectada é muito pequena para manter a galáxia escura sem se desmembrar, devido às forças centrífugas resultantes da rotação rápida. Calculou-se então que a quantidade de massa escura seja mil vezes superior à do H, sendo esta razão cem vezes menor na Via Láctea. Se VirgoHI21 fosse uma galáxia normal, dada a sua dimensão, deveria ser brilhante ao ponto de ser visível até por um bom telescópio amador.

Localizada no enxame galáctico da Virgem, a cerca de 15 Mpc do Sol, VirgoHI21 é uma raridade, até hoje não se conhecendo mais exemplos em diversos rastreios espaciais. Outros objectos similares encontrados anteriormente acabaram por revelar uma população estelar, quando observados pelos maiores telescópios ópticos. Outros ainda são o remanescente de colisões galácticas. As primeiras observações de VirgoHI21 ocorreram, aliás, em 2000, tendo-se levado cinco anos a descartar todas as hipóteses alternativas, o que incluiu observações nos radiotelescópios de Arecibo (Porto Rico) e Westerbork (Países Baixos) e confirmação óptica no telescópio Isaac Newton (Canárias).

A simulação da evolução da estrutura de larga escala no Universo é largamente dependente do tipo de massa escura considerada e das suas interacções. A massa escura do tipo frio entra na maioria dos modelos mais usados, prevendo, porém, a existência de cerca de dez a cem vezes mais dSph do que as conhecidas no GL.

Remanescentes da formação do GL, existem milhares de nuvens rápidas de H neutro (HVC, na sigla inglesa) que se deslocam a velocidades mais elevadas do que o disco galáctico, estando fora do seu plano. Em 2003, um grupo da Universidade da Califórnia em Berkeley descobriu a HVC 127-41-330, com dimensões típicas das dSph, mas, ao contrário destas, sem aparente população estelar. As HVC poderão ser demasiado pequenas para induzir a “ignição” estelar, mas esse já não é o caso de VirgoHI21. Em qualquer caso, conhece-se outra dezena de HVC candidatas a pequenas galáxias escuras, que também evidenciam rotação. É um problema interessante, pois poderá colmatar parte das dSph em falta.

Retirado de:
SUPER 147 - Julho 2010

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Multimédia - Introdução às Ciências/1º Ciclo do EB

Estrela do Mar
Descritivo : Pequeno filme que mostra o movimento de uma estrela do mar. Este objecto foi construído pelo Bio-DiTRL, projecto do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Alberta no Canadá, cujo endereço é http://bio-ditrl.sunsite.ualberta.ca/ e a quem agradecemos na pessoa de Jerry Filipski a disponibilização para colocar os materiais


Interactividade: Passivo
Tempo: 10m
Enviado por: silva.pinto


Site: http://www.biology.ualberta.ca/facilities/multimedia/index.php

Notícia - Sims 3: O fascínio de imitar a vida



O The Sims tornou-se num vício desde que surgiu, em 2000. Oito anos depois, em 2008, atingiu o estatuto de jogo para PC mais vendido de sempre: 100 milhões de cópias. O único problema da primeira versão – não conseguia manter o mesmo nível de interesse do jogador por muito tempo – foi ultrapassado. Não raro, depois de três meses a jogar, o utilizador já estava no último nível. A partir daí, muitos jogadores iniciavam uma saga de matança dos vizinhos para ter alguma diversão.

Esse problema foi parcialmente resolvido com a segunda versão e, definitivamente, chegou ao fim com a terceira. The Sims 3, já à venda em Portugal, traz uma combinação elaborada de tarefas que possibilita que o jogador, caso esteja disposto, não precise de cometer loucuras para se entreter.

Só na primeira semana de lançamento vendeu 1,4 milhões de cópias em Espanha.

O objectivo em The Sims sempre foi o mesmo: criar pessoas e guiá-las pela vida. O jogador forma famílias, levanta e decora casas, trabalha, gere o dinheiro e, claro, convive com outros ‘sims’ criados pelo computador.

Em The Sims 3, lançado cinco anos depois da segunda versão, novas ferramentas de criação fáceis de usar permitem um nível praticamente ilimitado de possibilidades de personalização, criando ‘sims’ realmente únicos. Passam a sair de casa e a explorar a cidade, fazem novas amizades ou andam pelo bairro.

A nova versão do jogo mantém as rotinas – sentem fome, ficam cansados, precisam de banho – mas automatiza a maioria delas. Assim, pode investir-se o tempo no trabalho e nas relações pessoais, sem se preocupar tanto em lavar as mãos ou colocar o lixo fora de casa. O mais importante são as relações sociais, e as histórias catastróficas que podem surgir a partir disso.

O Tetris continua a ser um dos videojogos mais populares da História, perfeitamente viciante. Cumpre o seu 25º aniversário em plena forma, vendendo-se mais do que nunca e com a ambição de se converter no primeiro desporto virtual. Há mais de 75 milhões de versões. Foi criado por um engenheiro informático russo, Alexy Pajitnov, em 1984, e na actualidade joga-se em mais de 50 países.

Notícia - Astrónomo português recebe prémio internacional na Arménia

O astrónomo Nuno Cardoso Santos, investigador do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP), recebeu ontem, na Arménia, o prémio internacional Viktor Ambartsumian.O prémio - partilhado com os seus colegas Michel Mayor (Universidade de Genebra) e Garik Israelian (Instituto de Astrofísica das Canárias) - foi atribuído pelo trabalho no estudo das estrelas que têm planetas em órbita e que fornecem indícios essenciais para a compreensão dos processos de formação planetária, informou o CAUP.

O galardão, no valor de cerca de 385 mil euros e considerado o mais importante na astrofísica depois do Prémio Nobel, será distribuído pelos três investigadores.

O Prémio Viktor Ambartsumian é atribuído de dois em dois anos e distingue investigadores, de qualquer país, por excepcionais contributos para a Ciência.

Este ano, foram nomeados 14 investigadores ou equipas, cabendo o prémio ao trio liderado pelo Professor Michel Mayor, que em 1995 codescobriu o primeiro exoplaneta à volta de uma estrela do tipo solar (51 Pegasi).

O júri que atribuiu o prémio é composto por físicos e astrónomos de renome, dos quais se destacam Martin Rees (Master do Tinity College da Universidade de Cambridge), Catherine Cesarsky (ex-directora geral do ESO e ex-presidente da União Astronómica Internacional) e Geoffrey Burbidge (editor das revistas "The Astrophysical Journal" e "Annual Review of Astronomy and Astrophysics").

Nuno Cardoso Santos é autor de 128 artigos científicos publicados, com mais de 5200 citações.

Ao ter conhecimento do prémio, o investigador manifestou-se “obviamente muito feliz” e acrescentou “esperar, sobretudo, que este reconhecimento possa, de alguma forma, ajudar a astronomia nacional a fazer cada vez mais e melhor”.

Em comunicado, o CAUP refere que actualmente são conhecidos cerca de 500 planetas extra-solares, muitos dos quais (em especial os de pequena massa) descobertos pela equipa liderada pelo professor Michel Mayor. Entre eles está o mais pequeno exoplaneta descoberto, Gliese 581e, com apenas 1,9 massas da Terra.

“Apesar do já elevado número de planetas extra-solares detectados, os mecanismos de formação destes sistemas são ainda pouco compreendidos. Por isso a equipa dedica-se também a tentar compreender melhor as propriedades destes sistemas planetários (e das suas estrelas-mãe), de modo a melhorar os actuais modelos de formação planetária”, acrescenta.

O Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) foi criado em Maio de 1989 e iniciou as actividades em Outubro de 1990. É a maior unidade de investigação na área da Astronomia em Portugal, considerada como “Excelente” nas últimas avaliações de Unidades I & D, efectuada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

terça-feira, 21 de abril de 2015

Exercícios e Jogos - Links

Carruagens
Berlindes
Chocolates
De 2 em 2
Caracol de números
Escada
Números que falam I
Números que falam II
Números que falam III
Barco
Peixe
Flores
À procura dos sinais I
À procura dos sinais II
À procura dos sinais III
Degraus
Saltos
Para a frente e para trás
Bicicletas e rodas
Triciclos e rodas
Mãos, dedos e outras coisas mais
Sequências I
Sequências II
Sequências III
Descobre o meu lugar
Cada um no seu lugar
Arrumar os números
Um meio
Um terço
Um quarto
Mealheiros
Máquina de trocos I
Máquina de trocos II
Com moedas iguais
Com o mínimo de moedas
Juntar moedas
Custa "mais ou menos"…
Quantos berlindes
Por aproximação
Setas
Objectos
Alturas
Áreas I
Áreas II
Áreas III
As minhas figuras
Quadrados
Tudo depende da unidade!
Relógios
Uma vez por ano
Calendário
Fui às compras
A floresta mágica
A caminho da escola
O passatempo do Tiago
Como esteve o tempo
No bar da escola
De 2 em 2
Caracol de números
Escadas

Notícia - Jogar sem comando na Xbox


E se um dia pudesse chegar a casa, ligar a televisão e começar a jogar sem ter de se preocupar com comandos? Esse dia está a chegar com o Projecto Natal, da Microsoft, que dá um passo importante na forma como os jogadores utilizam as consolas: jogar sem comando.

O Projecto Natal, tal como anunciado na conferência da Microsoft na E3 2009 (Electronic Entertainment Expo), feira de videojogos que decorreu recentemente em Los Angeles, permite exactamente isso, jogar sem ter nas mãos qualquer comando, usando apenas movimentos gestuais.

O sistema é algo idêntico ao que vemos na PlayStation com a câmara Eye e o jogo EyeToy, mas muito mais avançado, pois permite uma interacção directa com a personagem do jogo, levando o utilizador a sentir-se dentro do mesmo.

CARACTERÍSTICAS

Juntamente com um sensor de profundidade e um microfone, a câmara identifica todos os movimentos corporais – incluindo expressões faciais – e mudanças de emoção na voz, convertendo essa informação em ordens para dar à consola, dispensando-se o uso do comando. Entre as principais características está o reconhecimento facial e o reconhecimento de voz. Os jogos ou aplicações que utilizem este sistema conseguem ler os movimentos de todo o corpo.

A tecnologia, desenvolvida pela empresa israelita 3DV Systems (adquirida recentemente pela Microsoft), emprega raios infravermelhos para monitorizar os movimentos em três dimensões (3D), entrando em concorrência com a consola Nintendo Wii e com o EyeToy, da Sony (a duas dimensões).

Ainda não há data prevista para o dispositivo ser comercializado, mas pode ser integrado em qualquer Xbox 360 e virá incluído no pacote de vendas da consola.

A partir de agora, o kit de desenvolvimento do Projecto Natal fica disponível para programadores de jogos. Não implica a compra de uma nova consola.

SONY E NINTENDO CONTRA-ATACAM

A Sony apresentou um protótipo de controlos ainda sem nome, que funciona por emissão a partir de esferas de luz, que são reconhecidas por uma câmara, baptizada de PlayStation Eye. Já a Nintendo apresentou um sensor que se coloca no dedo e permite a cada um conhecer aquilo que se passa no seu corpo, designadamente efeitos relacionados como stress.

NOVIDADES

WINDOWS SEM EXPLORER

A Microsoft anunciou ontem que comercializará o seu futuro sistema Windows 7 na Europa sem o navegador Internet Explorer integrado.

RATO TRANSFORMER

Inspirada no clássico ‘Transformers’, a empresa Takara lançou o Trypticon Transforming Laser Mouse, com 800 dpi.

TETRIS FAZ 25 ANOS

O jogo das peças que encaixam, inventado em 1984, está registado no Livro do Guinness como um dos videojogos mais populares.

GOOGLE À FRENTE

A Google mantém-se na primeira posição entre os motores de busca mais utilizados, mas o novo pesquisador da Microsoft já ganhou a segunda posição, destronando a Yahoo.

SISTEMA SOLAR: TERRA AFASTA-SE 15 CENTÍMETROS POR ANO

A medição mais precisa feita até hoje da distância entre o Sol e a Terra foi concluída em 2004 pelos astrofísicos russos Gregoriy A. Krasinsky e Victor A. Brumberg. No fim do seu trabalho, fizeram uma descoberta surpreendente: a Terra está a afastar-se do Sol 15 centímetros por ano.

Quinze centímetros por ano não parece muito, talvez apenas o suficiente para permitir uma previsão de que a Terra terá problemas de arrefecimento global dentro de centenas de milhões de anos. Mas o que está a afastar a Terra do Sol?

Segundo Takaho Miura, da Universidade de Hirosaki, no Japão, o Sol e a Terra estão a empurrar-se mutuamente devido à interacção das suas marés.

O fenómeno é o mesmo que explica o afastamento da Lua em relação à Terra: as marés que a Lua levanta nos nossos oceanos estão a transferir, gradualmente, energia rotacional para o movimento lunar. Como resultado, em cada ano a órbita lunar aumenta cerca de quatro centímetros e a velocidade de rotação da Terra diminui em 0,000017 segundos. Os dias terrestres tenderão a ficar maiores no futuro.

DATAS DA CIÊNCIA

14 de Junho de 1951

Esta data marca o nasci-mento da estatística computa-dorizada. Foi nessa altura utilizado pela primeira vez o computador Univac 1.

16 de Junho de 1963

A astronauta russa Valentina Tereshkova, de 26 anos, torna-se a primeira mulher a realizar uma viagem espacial: 48 voltas à Terra.

16 de Junho de 1977

Morre Werner von Braun,o engenheiro e físico alemão que dirigiu o programa de foguetes alemães, construin-do os famosos ‘V2’. Depoisda Segunda Guerra Mundial,Von Braun tornou-se cidadão norte-americano.

NOTAS

CHINA: ESCAVAÇÕES DE VOLTA

Arqueólogos chineses retomarão hoje, após 24 anos, as escavações na zona do chamado Exército de Terracota, também conhecido como Guerreiros de Xian.

CÚPULA: HOUSTON À DEFESA

Engenheiros propuseram a construção de uma gigante bolha para proteger a cidade de Houston, no Texas, contra os danos causados pelo aquecimento global.

TITÃ: FORMAÇÃO DE NUVENS

Dados enviados pela sonda ‘Cassini’ comprovam que a formação de nuvens no satélite de Saturno Titã obedece a modelos climáticos como os da Terra.

CÉREBRO: PESO AO LONGO DA VIDA

350 gramas é quanto pesa o cérebro de um recém-nascido. Aos seis meses pesa 700 gramas, metade do peso do cérebro de um adulto.

Notícia - A estrela mais pesada do Universo está a emagrecer



Se a Terra girasse à volta da estrela R136a1, a luz que iríamos receber seria tão forte como o brilho do Sol é em relação à luz da Lua. Até agora, pensava-se que as estrelas não poderiam ter uma massa superior a 150 vezes a massa do nosso astro-rei, mas a R136a1 tem 265 vezes a massa solar e já emagreceu um bocado desde o seu nascimento. "Ao contrário dos humanos, estas estrelas nascem pesadas e perdem peso à medida que envelhecem”, disse Paul Crowther, num comunicado do Observatório Europeu do Sul. Há um milhão de anos este astro estava a formar-se no aglomerado estelar RMC 136a, que fica a 164 mil anos-luz do nosso sistema solar, perto da galáxia chamada Grande Nuvem de Magalhães. Na altura, a estrela teria 320 vezes a massa do Sol.

Crowther liderou a equipa da Universidade de Sheffield, Inglaterra, que com o grande telescópio no Chile (Very Large Telescope) e informação recolhida pelo telescópio espacial Hubble, identificaram várias estrelas gigantes neste e noutro aglomerado estelar, NGC 3603. Segundo diz, a R136a1 já está a meio da vida e perdeu um quinto da sua massa inicial. Mas brilha dez milhões de vezes mais que o nosso Sol. Estas regiões do Universo, carregados de pó e gases, geram estrelas com massas incríveis, mas com um tempo de vida limitado.

A descoberta altera o limite do tamanho destes astros. “As estrelas mais pequenas têm um limite mínimo de tamanho oito vezes acima de Júpiter, abaixo do qual são estrelas falhadas ou anãs castanhas”, explicou Olivier Schnurr, do Instituto Astrofísico de Potsdam na Alemanha. O limite superior expandiu-se, para cerca de 300 vezes a massa do Sol.

Ao contrário da nossa estrela, que tem os contornos definidos, a R136a1 expulsa tanta matéria da região mais externa que se torna difícil definir os seus contornos. À superfície, a sua temperatura é de 40 mil graus, mais de sete vezes superior ao nosso Sol.

No fim da vida, as estrelas mais maciças dão origem a supernovas, que se transformam ou numa estrela de neutrões ou em buracos negros. Os astrofísicos pensam que a morte das novas gigantes resulte numa supernova extremamente brilhante, que disperse quantidades de ferro equivalentes a dez massas solares. No lugar da estrela não fica nada.

domingo, 19 de abril de 2015

Multimédia - Introdução às Ciências/1º Ciclo do EB

Bivalve em movimento


Descritivo: Pequeno filme em QuickMovie que mostra o modo de locomoção de um bivalve. E um objecto do Bio-DiTRL, projecto do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Alberta no Canadá, cujo endereço é http://bio-ditrl.sunsite.ualberta.ca/ e a quem agradecemos na pessoa de Jerry Filipski a disponibilização para colocar os materiaias. Com uma duração de cerca de trinta segundos, é extremamente elucidativo do processo de locomoção.



Interactividade: Passivo
Tempo: 30 s
Enviado por: Gabinete Coordenador da Casa da Ciências


Site: http://www.biology.ualberta.ca/facilities/multimedia/index.php

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Multimédia - Introdução às Ciências/1º Ciclo do EB

Crisálida
Descritivo : Pequeno fime em Media Player do Windows, que mostra de modo muito interessante o "abrir" de uma crisálida com o aparecimento de uma borboleta. Com uma duração de cerca de trinta segundos, é um objecto do Bio-DiTRL, projecto do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Alberta no Canadá, cujo endereço é http://bio-ditrl.sunsite.ualberta.ca/ e a quem agradecemos na pessoa de Jerry Filipski a disponibilização para colocar os materiais.


Interactividade: Passivo
Tempo: 30 s
Enviado por: silva.pinto

Site: http://www.biology.ualberta.ca/facilities/multimedia/index.php

terça-feira, 14 de abril de 2015

Vídeo - Evolução do Sistema Digestivo - Documentário (2008)

Vídeo - Ponto Cego - Um Documentário sobre a Cegueira


Vídeo - Ligações Químicas: Iónica e Covalente


Vídeo - Internet segura


Filme - Descartes


Vídeo - Latitude e Longitude


Vídeo - Grandes Portugueses - Luis de Camões


Vídeo - Isto é Matemática - Reinventar a Roda - Temporada 1 Episódio 1


Documentário - A Primeira Guerra Mundial - O Fim de uma Era


1ºAno - Português - Vídeo - Alfabeto completo ilustrado com fotos


Vídeo - Música dos Parabéns


segunda-feira, 13 de abril de 2015

Auxiliar o docente do 1º Ciclo - Links

Sitiodosmiudos Site que resulta da fusão de dois projectos, o Clickin e o Sítio dos Miúdos, que se destacaram no panorama virtual português como espaços seguros de diversão e aprendizagem para as crianças na Internet.

Mosaico.edu Site com recursos e actividades on-line para apoio ao 1.º ciclo do Ensino Básico e à educação especial. Orientado para a utilização das TIC em contextos educativos, privilegia ainda intervenções clínicas e terapêuticas na Educação Especial.

Sites de dicas Um óptimo centro de recursos para professores, com dicas, para usar na sala de aula em várias disciplinas.

Aproximar.co.pt Uma iniciativa da Associação de Profissionais de Educação do Norte Alentejo, onde pode encontrar indicações de recursos para o 1.º ciclo e variadas informações relativas ao sector da educação.

O Brasileirinho Um jornal digital direccionado a crianças, jovens e adolescentes.

Vacamarela Site com grafismos muito atractivos, vocacionado para os mais novos, disponibiliza jogos e histórias animadas.

Ratolandia Um site para os mais novos. O ninho deste rato está recheado de jogos e actividades divertidos.

Clubekids Site com inúmeras actividades para os mais pequenos, promove várias actividades e concursos.

Espaço Curumim Site brasileiro para crianças muito divertido. Aconselhamos a exposição de insectos.

Cooltoons.com O Cooltons.com é um site que fará as delicias dos mais jovens. Lá encontram galerias de fotografias e filmes, páginas para colorir, postais e até um fantástico gerador de monstros!

Literatura infantil Uma página sobre literatura infantil, onde poderá encontra um índice de autores e obras.

Ilha das descobertas O portal Sapo associou-se a um grande site internacional dedicado às crianças para apresentar aqui uma versão portuguesa. Para aceder inteiramente a este site é obrigatório pagar um registo.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Multimédia - Batalha na Planície

Este jogo destina-se a quaisquer idades, mas assume especial interesse didáctico para alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico, e também do 2º Ciclo. Em actividades de recuperação, pode também ser utilizado com interesse didáctico por alunos mais velhos. Pretende ajudar a desenvolver o raciocínio geométrico relacionado com a simetria axial através de uma actividade que se pretende divertida e aliciante.

No ficheiro zipado pode encontrar um guião, um ficheiro ggb (do geogebra), um ficheiro html e uma pasta. Este ficheiro html é aquele onde se deve abrir o jogo, e o ficheiro ggb deve estar na mesma pasta. Para que o jogo funcione necessita de uma ligação à Internet activa. Se não tiver uessa ligação activa, pode abrir o ficheiro html que está dentro da pasta, desde que mantenha os ficheiros dessa pasta na mesma pasta do ficheiro html.

Bom jogo!

Interactividade: Activo
Tempo: Variável
Palavras-Chave: Matematica,
Enviado por: Raul Aparício Gonçalves
Nome do ficheiro batplan.rar
Tamanho 1.37 MB
Tipo rar (Tipo de Mime: application/x-rar)

http://www.prof2000.pt/users/luar/batplan.html

terça-feira, 7 de abril de 2015

Multimédia - Movimento da Lua

Descritivo:Applet integrado numa página em hipertexto extremamente simples que simula o movimento dos dois astros, Terra e Lua em torno do Sol. Muito simples e apropriado apenas ao 1º Ciclo, embora as informações complementares que são fornecidas sejam para outros níves de ensino. Da autoria do professor Jean-Jacques ROUSSEAU da Faculté des Sciences exactes et naturelles da Université du Maine - Le Mans a quem agradecemos a disponibilidade para colocação deste material no nosso portal. Deve descarregar o ficheiro para o seu computador. Ao descompactá-lo, será criada uma pasta dentro da qual deve activar o ficheiro html correndo a simulação normalmente.

Interactividade: Activo
Tempo: Nâo Aplicável
Unidade Didáctica: Bloco 3 - 3º ano
Palavras-Chave: Introducao as Ciencias,
Nome do ficheiro Movimento da Lua.zip
Tamanho 5.07 kB
Tipo zip (Tipo de Mime: application/zip)
Site http://www.univ-lemans.fr/enseignements/physique/02/

domingo, 5 de abril de 2015

Multimédia - A Terra

Descritivo: Applet integrado numa página em hipertexto extremamente simples que permite "rodar" o globo de acordo com um paralelo ou na área do applet, observando-se os continentes sempre na sua posição relativa. Apesar de ser classificado para o 1º Ciclo, é uma ferramenta também passível de ser utilizada no quer no 2º quer mesmo no 3º Ciclo do Ensino Básico, no tema Terra no Espaço. Depende sobretudo do modo como professor edxplorara este material, com ou sem aprofundamento. Da autoria do professor Jean-Jacques ROUSSEAU da Faculté des Sciences exactes et naturelles da Université du Maine - Le Mans a quem agradecemos a disponibilidade para colocação deste material no nosso portal. Deve descarregar o ficheiro para o seu computador. Ao descompactá-lo, será criada uma pasta dentro da qual deve activar o ficheiro html correndo a simulação normalmente.



Interactividade: Activo
Tempo: Não Aplicável
Unidade Didáctica: Bloco 3 - 4º ano
Palavras-Chave: Introducao as Ciencias,
Nome do ficheiro A Terra.zip
Tamanho 8.95 kB
Tipo zip (Tipo de Mime: application/zip)
Site http://www.univ-lemans.fr/enseignements/physique/02/

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Multimédia - Modelos planificados

Descritivo: Conjunto de modelos de diferentes sólidos geométricos planificados que podem ser impressos em cartolina para construção. Possui as mais diversas formas, pelo que a sua construção em 3D, serve nos modelos mais simples para o 1º Ciclo, e nos mais complexos para as formas cristalográficas no secundário e estudo dos sólidos na Matemática do 3º ciclo e secundário. Da autoria do professor Jean-Jacques ROUSSEAU da Faculté des Sciences exactes et naturelles da Université du Maine - Le Mans a quem agradecemos a disponibilidade para colocação deste material no nosso portal. Deve ser descarregado para o seu computador e descompactado, criando então uma pasta dentro da qual surgem todas as imagens em formato *.gif podendo ser importadas para qualquer ferramenta de leitura de texto ou de imagem, ou mesmo de apresentação.



Interactividade: Passivo
Tempo: Não Aplicável
Tema: Sólidos Geométricos
Unidade Didáctica: Várias
Nome do ficheiro modeles_le mans.zip
Tamanho 172.22 kB
Tipo zip (Tipo de Mime: application/zip)
Criador silva.pinto
Site http://www.univ-lemans.fr/enseignements/physique/02/

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Multimédia - Detalhes de Tabuada

Descritivo : Pequena aplicação em Java (applet) que permite fazer contas numa tabela, contas simples, para exercitar o cálculo mental. Permite escolher as opções de cálculo e o grau de dificuldade. Produzida pelo PhET, Interactive Simulations da Universidade do Colorado, agradecemos à equipa na pessoa de Katherine K, Perkins. A exploração deste material deve ser feita em função das opções docentes, após análise das suas potencialidades que são muitas e versáteis. Apesar de estar colocado numa lógica de 1º Ciclo, pode ser utilizado nos diferentes anos de diferentes formas e mesmo mais tarde como jogo de consolidação de cálculo mental.


Interactividade: Activo
Tempo: Variável
Tema: Cálculo mental
Unidade Didáctica: Várias
Nome do ficheiro arithmetic_en.jar
Tamanho 328.41 kB
Tipo jar (Tipo de Mime: application/x-jar)
Criador silva.pinto
Site http://phet.colorado.edu/sims/arithmetic/arithmetic_en.html


Recomendamos ...

Recomendamos ...